Na Espanha, os estudantes universitários muitas vezes ficam divididos entre morar em uma residência de estudantes ou em um internato. Embora os dois sejam ótimas opções de acomodação para estudantes universitários, eles são realmente diferentes quando comparados.

Para que você saiba qual é a acomodação que mais se adapta aos seus gostos e interesses, informaremos quais são as principais diferenças entre uma residência universitária e uma faculdade.

História

Uma das diferenças mais marcantes entre um conjunto habitacional e um conjunto habitacional é a história.

Os internatos são instituições que datam do século XVIII. Lá, os alunos não só ficavam, mas também era o local onde recebiam aulas de cultura, artes, religião e sociedade. Em essência, foi o espaço em que adquiriram os conhecimentos básicos para a vida.

Em contraste, as residências de estudantes surgiram muito mais tarde, no século XX. Seu objetivo não é educar, mas acomodar alunos que começavam a chegar de outras latitudes para estudar nas universidades da cidade.

Caráter e formação

Essa é outra das principais diferenças entre essas acomodações estudantis.

A maioria dos internato são instituições orientadas pela formação religiosa e seus valores. Na verdade, ainda existem escolas exclusivamente para mulheres e outras apenas para homens. No entanto, hoje, a maioria é mista.

Em contraste, as residências de estudantes não seguem uma linha religiosa ou cultural. É por isso que aqui vivem jovens que têm maior liberdade de pensamento e ação.

Esse aspecto também influencia o estilo de vida que os alunos vivenciam. Enquanto estiver em um internato, todas as atividades ou eventos que ocorrem seguem a doutrina estabelecida; Em uma residência, os temas variam e são direcionados a diferentes grupos.

Localização

Os internatos geralmente fazem parte ou estão associadas às universidades. Por isso estão muito próximos ou até dentro dos campus universitários.

Por outro lado, as residências estudantis são produto da iniciativa privada, portanto, não têm relação com as universidades. Por isso é possível encontrar residências em qualquer parte da cidade.

População de estudantes

Como mencionamos anteriormente, os internatos geralmente são dependências de uma universidade. Como consequência, um dos requisitos para permanecer lá é ser aluno dessa universidade.

Por sua vez, as residências aceitam alunos de qualquer casa de estudos devido ao seu caráter privado. Dessa forma, enquanto os internatos possuem uma população estudantil exclusiva, as residências de estudantes apresentam maior diversidade.

Portanto, para decidir entre uma ou outra acomodação, pergunte-se se gostaria de encontrar outras pessoas fora de sua universidade. Há quem prefira limitar seu círculo social, assim como há quem busque ampliá-lo para descobrir outras realidades. No primeiro caso, a faculdade é a melhor escolha e, no segundo, a residência de estudantes é a mais bem-sucedida.

Requisitos de acesso

Para se alojar em um internato, não basta ser aluno da universidade à qual está vinculado. Todos os candidatos devem passar por entrevista, uma vez que essas instituições procuram alunos que atendam a um determinado perfil.

Até mesmo, em alguns internatos, os alunos também devem ter passado uma nota média em seu histórico acadêmico.

Nas residências de estudantes, o quadro é muito diferente. O único requisito é ser aluno de uma universidade municipal e cumprir as regras de convivência estabelecidas no prédio.

Em resumo, desde que haja espaço em um prédio residencial, você terá a oportunidade de entrar; enquanto estiver no internato você deve primeiro passar por uma série de filtros.

Serviços

Em relação aos serviços, as residências de estudantes e os internato não diferem muito. Cada uma oferece eventos culturais, de lazer e entretenimento para os alunos, bem como atividades de treinamento opcionais e workshops.

Portanto, em ambos, os jovens podem relaxar e clarear suas mentes participando de diferentes atividades e eventos.

Porém, há uma pequena diferença e é que, nos internatos, as atividades devem estar alinhadas aos princípios culturais e religiosos professados ​​pela instituição.

Em contrapartida, nas residências universitárias, as atividades são realizadas para todos os grupos, independentemente das crenças ou valores dos proprietários ou funcionários. Desta forma, os eventos são mais orientados aos interesses dos alunos.

Regras

Em ambos os tipos de alojamento existem regras que os alunos devem seguir para terem uma convivência harmoniosa. No entanto, existe uma regra que se repete em muitos internatos e que não existe nas residências.

Estes são os horários de entrada e saída. Esta política é imposta para manter a ordem e evitar que os alunos se atrasem. Para alguns, é irritante, pois não podem ir a festas noturnas e para outros é uma forma de conviver em um ambiente organizado.

Agora que você conhece as principais diferenças entre uma residência de estudantes e uma faculdade, pode escolher com mais certeza qual lhe parece mais conveniente.

Scan the QR Code to add me on WeChat

wechat qr code

Book for Academic Year 2020

Book with confidence!

Subscribe to receive LIV Student news, information and rewards.

We have received your message and we’ll be in touch with you soon.

An error occurred while submitting your details!